17 de Agosto de 2017

Os HUMANOS seres e a promoção da paz

Coordenadoria Educacional da BSGI promove evento marcado pela reflexão e conscientização

Amaral Vieria: reflexões sobre a insensatez da violência e a necessidade de paz

Momento da entrega das guirlandas de tsurus

Os palestrantes convidados ao lado de Giballin (à dir.)

Eu sou uma proposta de paz! Essa foi a ideia que permeou o evento da Coordenadoria Educacional (Ceduc) da BSGI, realizado no dia 5 de agosto último, no auditório do Centro Cultural da BSGI, em São Paulo. Intitulado Por um modo mais HUMANO de VIVER, o seminário foi uma reflexão sobre a Proposta de Paz de 2017 do Dr. Daisaku Ikeda: A Solidariedade Mundial dos Jovens – o Alvorecer de uma Nova Era de Esperança, promovido pelo Núcleo de Difusão em Educação Soka e Propostas de Paz (Nudesp) juntamente com o Departamento de Estudos e Práticas em Ciências da Educação (Depeduc), dois dos grupos da Ceduc. O evento contou com os palestrantes: Giballin Gilberto, responsável pelo Nudesp; Fernanda Cassiano, representante da ONU/Pnud; Amaral Vieira, maestro, compositor, professor e pianista, e Júlio China, vice-presidente da BSGI.


“Eu não tinha me dado conta de como poderia colocar a proposta de paz do presidente Ikeda em minha vida. ‘Eu sou a proposta de paz’, foi um insight, uma descoberta!”, conta o estudante de veterinária e associado da BSGI, Bruno Taly. Participando pela primeira vez em um evento da Coordenadoria Educacional (Ceduc), o jovem estudante foi um dos 500 privilegiados presentes.
Sonia Kato, coordenadora da Ceduc, abriu o evento discorrendo sobre a importância de eventos como esses na promoção de reflexão e conscientização para a construção de uma paz verdadeiramente perene. “Os jovens são os agentes fundamentais para a mudança”, enfatizou Sonia.


Marcando positivamente uma das datas simbolicamente mais trágicas da história da humanidade, o dia em que a bomba atômica foi lançada em Hiroshima, a Ceduc fez a entrega de guirlandas de tsurus (pássaros grou japoneses) confeccionados em origami (dobradura de papel), para o vice-presidente do Centro Cultural de Hiroshima, Yoshikazu Murakami.


E, como forma de integrar a arte ao evento, a soprano lírico Marly Montoni apresentou uma performance magistral da canção de George Gershwin, Summertime.


“Eu sou uma proposta de paz”, foi o tema da palestra de Giballin Gilberto. “Paz é uma postura que precisa de energia e coragem, sair da zona de conforto e ir em busca de soluções”, ressaltou. Introduziu com grande propriedade as três áreas prioritárias da Proposta de Paz de 2017: 1) proibição e abolição dos armamentos nucleares; 2) reagir diante da crise dos refugiados e 3) construir uma cultura de direitos humanos.


Fernanda Cassiano, falando em nome da ONU, discorreu sobre a crise dos refugiados contextualizando a questão em números alarmantes. São milhões de pessoas em todo o mundo sendo forçadas a deixar seus países por conflitos e outros motivos igualmente terríveis. Este fato resulta numa crescente tensão nas sociedades que recebem estes refugiados, a xenofobia se alastra de forma preocupante. “As pessoas parecem se esquecer de que são pessoas, seres humanos, com sentimentos, e que merecem nossa solidariedade e benevolência”, explicou Fernanda.


Amaral Vieira levou ao evento suas reflexões e sentimentos em relação ao documento do dr. Ikeda. Relembrou um fato de sua vida, de quando estudava música na Alemanha, em 1970. Nessa época o país vivia um clima de estabilidade após os anos de penúria do pós Segunda Guerra e foi essa população que viu chegarem grandes hordas de pessoas esquálidas e miseráveis vindas da Romênia. “Vi com pesar o modo como aquelas multidões eram discriminadas e rejeitadas”, contou o músico. Ele enfatizou que considera o presidente Ikeda como “a pessoa mais capaz para conduzir a humanidade à paz”.


Fechando a série de palestras, o vice-presidente da BSGI, Júlio China, fez uma importante reflexão sobre a juventude atual que se auto aliena, refugiando-se em um universo digital e irreal. Na contramão desse viés, o movimento jovem da BSGI se engaja corajosamente em ações práticas que visam promover o empoderamento e a capacitação de toda a sociedade. “Duzentos jovens da BSGI, por iniciativa própria e com recursos próprios, viajaram ao Japão esta semana para um intercâmbio, com o objetivo de se capacitarem para serem agentes de transformação positiva na sociedade brasileira!”, enfatizou. Esta é a juventude da BSGI, que supera limites e se lança em um voo consciente rumo à sua iluminação.


Ele ainda reiterou que o presidente Ikeda tem orientado diligentemente as mais diversas ações para a conscientização das pessoas, notadamente a partir das organizações da SGI – a Soka Gakkai Internacional – que reúne pessoas de 192 países e territórios, com a fundamentação budista da absoluta dignidade da vida, que gera a consciência, mãe de todas as nossas ações e, por meio de empreendimentos culturais e notadamente com ação efetiva na educação formal. Isso resulta em profunda conscientização de educadores e demais associados que, por meio de grupos como a Ceduc realizam ações efetivas que promovem a reflexão e a conscientização.


 

Voltar para o topo

Outras notícias

Setembro de 2017

Agosto de 2017

Julho de 2017

Junho de 2017

Maio de 2017

Abril de 2017

Mais notícias

Notícias + lidas

Sede Central da BSGI
Rua Tamandaré, 1007
Liberdade - São Paulo - SP
Brasil
CEP: 01525-001
Telefone
+55 11 3274-1800

Informações
informacoes@bsgi.org.br

Relações Públicas
rp@bsgi.org.br
Informações Gerais
Contatos
Newsletter

Redes Sociais
Facebook
YouTube
Instagram
Twitter
Sites Relacionados
Soka Gakkai Internacional
Daisaku Ikeda
Josei Toda
Tsunesaburo Makiguchi
Cultura de Paz
Editora Brasil Seikyo
CEPEAM
SGI Quarterly
Escola Soka do Brasil
Extranet BSGI